CadÚnico: confira como cadastrar e consultar o Cadastro Único do Governo

O Governo lançou em 2001 o Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), criado para integrar, catalogar e selecionar famílias brasileiras em situação de pobreza ou pobreza extrema. A partir do CadÚnico é possível receber todos os benefícios sociais públicos disponíveis no Brasil.

Apps
5 meses atrás
CadÚnico: confira como cadastrar e consultar o Cadastro Único do Governo

Como funciona

Toda informação coletada pelo cadastro do CadÚnico serve para que o governo conheça melhor a realidade socioeconômica da população. Nele são registradas informações como: características da residência, identificação de cada pessoa, escolaridade, situação de trabalho e renda, entre outras.

E é a partir daí que o governo federal elabora um plano de ações para melhorar a qualidade de vida das famílias que mais precisa. Por isso, toda família que deseja receber assistência social deve obrigatoriamente fazer a inscrição no CadÚnico.

O cadastro é inteiramente de responsabilidade da Caixa Econômica Federal, e cabe ao Ministério da Cidadania gerir as informações.

Benefícios

Só com o CadÚnico é possível ter os benefícios do Programa Bolsa Família, da Tarifa Social de Energia Elétrica, do Programa Minha Casa Minha Vida, da Bolsa Verde, Carteira do Idoso, Aposentadoria de pessoas de baixa renda, Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti), Brasil Carinhoso, Programa de Cisternas, Telefone Popular, Programa de fomento à atividades produtivas rurais, Carta Social, Pró-jovem Adolescente, Passe Livre e Isenção de taxas para concursos públicos.

Os benefícios do CadÚnico é fornecido apenas para famílias que ganham até meio salário mínimo por pessoa e para quem ganha até 3 salários mínimos de renda mensal total.

Como se inscrever

Para se inscrever no Cadastro Único (CadÚnico), basta que apenas um responsável da família, este denominado de Responsável pela Unidade Familiar (RF), procure o Centro de Referência de Assistência Social (Cras) mais próximo da residência para comprovar todas as informações dos membros da família.

É preciso comparecer com o CPF ou Título de Eleitor do Responsável pela Unidade Familiar (RF). Para as outras pessoas da família, é obrigatória a apresentação de qualquer um destes documentos de identificação: certidão de nascimento, certidão de casamento, CPF, carteira de identidade (RG), carteira de trabalho ou Título de Eleitor.

Para famílias indígenas ou quilombolas, qualquer documento de identificação pode ser utilizado.

No entanto, a pessoas que for ser o Responsável pela Unidade Familiar (RF), deve ter no mínimo 16 anos. O RF da família indígena pode apresentar o CPF, o título de eleitor, mas também o Registro Administrativo de Nascimento Indígena (RANI) ou outros documentos de identificação, como certidão de casamento, RG e carteira de trabalho.

Já o RF da família quilombola pode apresentar o CPF, o título de eleitor ou outros documentos de identificação como certidão de nascimento, certidão de casamento, RG ou carteira de trabalho.

É importante também levar o comprovante de endereço, de preferência a conta de luz e o comprovante de matrícula escolar das crianças e jovens até 17 anos. Caso não tenha o comprovante, pode se informado o nome da escola de cada criança ou jovem.

Se por alguma circunstância alguém da família ou se todos integrantes não tiverem documentos, será orientado e encaminhado para providenciar os documentos, porém, mesmo assim comparecer no Cras para informar o entrevistador do Cadastro Único. Pois isso permite ao governo saber que precisa realizar ações de mobilização para o registro civil de nascimento e a documentação básica dos cidadãos.

Enquanto não houver a apresentação dos documentos obrigatórios o cadastro ficará incompleto e a família não poderá participar de programas sociais.

Vale lembrar que o cadastramento no CadÚnico só pode ser feito pessoalmente na prefeitura da cidade ou no CRAS.

Como consultar o CadÚnico

A consulta pode ser feita online direto no site oficial do Ministério de Desenvolvimento Social. É só acessar a página, preencher os campos solicitados com seu nome completo, data de nascimento, nome da mãe e estado. Depois clicar em “Não sou um robô”, e por fim clicar em “Emitir”.

*Com informações da Agência Brasil e Ministério da Cidadania.

Bagarai

Este é um blog criado para quem ama tecnologia, assim como nós do Bagarai, aqui você vai encontrar novidades sobre internet, celulares, aplicativos e muito mais...

Vamos Bater um Papo?