Como comprar a câmera digital certa para você profissional ou que adora promoção

Como comprar a câmera digital certa para você profissional ou que adora promoção

Existem milhares de câmeras digitais disponíveis no mercado. São muitos recursos em comum e alguns diferenciais que podem tornar sua dúvida ainda maior. Aqui vão algumas dicas para facilitar a sua escolha.

1. Defina exatamente o que você precisa

Faça uma reflexão com calma sobre esses e outros questionamentos, resistia à empolgação e tente controlar seu instinto consumista. Pergunte ao vendedor sobre as características técnicas, mas pesquise você também na web, nos sites dos fabricantes e em sites e blogs sobre fotografia digital.

2. Uma câmera digital vai muito além dos Megapixels

A grande maioria das pessoas que querem uma câmera digital acha que a quantidade de Megapixels é o principal. Claro que a qualidade da imagem é fundamental, portanto, peça para testar a câmera na loja e fotografe com e sem flash no modo automático, que é uma boa maneira de analisar as imagens. Caso a imagem tenha muito ruído ou as cores fiquem meio apagadas, é um forte sinal de que a câmera não é boa sendo que 2 ou 12 Megapixels não farão diferença.

Outro ponto sobre os Megapixels é que eles são importantes mesmo na hora de imprimir as fotos. Se você vai imprimir fotos grandes, quanto mais Megapixels melhor. Vai imprimir fotos no tamanho 10X15 cm? Uma câmera de 4 Megapixels já é suficiente.

Se a sua intenção é colocar as fotos na web, lembre-se que o tamanho da imagem precisa ser pequeno. Nesse caso, fotos com alta definição vão demorar mais no upload, além de ocupar muito espaço no chip da câmera digital. Agora, se o uso é profissional, principalmente se você vai vender as fotos, seja criterioso no quesito Megapixels.

3. Considere o tamanho do sensor

Comparando com as câmeras analógicas, o sensor das digitais é equivalente ao tamanho do filme. Ele é o responsável pela captação das imagens, decisivo para boas fotografias. O CCD e o CMOS são os dois principais tipos de sensor encontrados nas câmeras digitais. O primeiro está na maioria das câmeras compactas e tem uma excelente qualidade na captura de imagens. O segundo é super barato e consome menos bateria, porém, apresenta qualidade inferior.

O principal ponto a ser considerado é o tamanho do sensor: quanto maior, melhor é a qualidade da imagem porque os pixels não precisarão ser diminuídos para serem capturados. Sensores pequenos resultam em imagens com ruídos.

Pesquisando você perceberá que a diferença de Megapixels é grande de uma câmera para outra, mas não existe muita diferença no tamanho do sensor.

4. A qualidade da lente interfere diretamente na qualidade das fotos

Um bom sensor por si só não é suficiente para captar muitos megapixels em uma câmera digital satisfatória. As lentes são peças importantes, mesmo que você esteja comprando uma câmera digital compacta simples. Lentes para câmeras SRL podem ser mais caras que a própria câmera, e é possível comprar só o corpo da câmera para depois comprar o tipo de lente de que você precisa. Quem quer comprar uma câmera digital mais simples precisa considerar outros aspectos ligados às lentes. Distância focal: se você gosta de registar pequenos objetos e seus detalhes, verifique qual é a distância mínima que você consegue obter entre o objeto e a lente para tirar fotos em foco.

Muitas câmeras digitais têm a opção macro, comumente indicada pelo desenho de uma flor. Com ela você poderá otimizar suas imagens, e se você deseja capturar detalhes minúsculos – insetos, por exemplo – o melhor é comprar uma câmera profissional com uma lente macro mais adequada.

5. Zoom: ótico e digital

O zoom também é muito importante na hora de avaliar uma câmera digital. Especialmente nas compactas e semiprofissionais, há o zoom ótico e o zoom digital. O ótico é o que podemos chamar de zoom verdadeiro, ou seja, a lente pode se alongar para fotografar em foco objetos a distância. O zoom digital é simulado, ele não é manipulado pelo mecanismo da própria lente, e amplia uma parte da imagem. Razão pela qual produz fotografias de menor qualidade. Recomendamos que se você procura uma câmera digital com um zoom poderoso, preste atenção em indicações como: “Zoom: Óptico – 3x / Digital: 2 x”. Isso não significa que o zoom de sua câmera fotografe em foco até 5x, mas sim em 3x, com a possibilidade digital de 2x.

6. O número de Megapixels aumenta cada vez mais: fique de olho na memória

Com o crescente número de Megapixels das câmeras compactas, é sempre bem-vinda uma memória maior, mesmo a memória interna sendo um quebra-galho. Isso considerando que muitas câmeras vêm com insignificantes 16MB ou 32MB. O ideal entre as compactas são os cartões de memória de 128MB ou 256MB, um tamanho considerável, mas que mesmo assim você precisará limpá-lo constantemente para armazenar novas fotos. Você vai encontrar vários tipos de cartões para câmeras digitais, que não são compatíveis entre si e com taxas de compartilhamento diferentes. Tal taxa influencia diretamente na velocidade com que sua câmera estará pronta para a nova foto. Os melhores cartões são aqueles que gravam as imagens mais rapidamente. Quanto maior a velocidade, mais eficiente é a transferência de arquivos para o computador. Além disso, o consumo de energia da câmera varia de acordo com o tipo de cartão.

É difícil definir um número máximo de fotografias para cada cartão, pois ele depende de vários fatores. Quanto maior a memória do cartão, mais imagens você consegue armazenar. No entanto, você precisa considerar a resolução das fotos e o tipo de compressão. Algumas câmeras oferecem opções de imagens em alta, média ou baixa qualidade.
Pensando em te ajudar na hora da compra, destacamos os três cartões de memória mais comuns no mercado. A SanDisk é um dos principais fabricantes com o Secure Disk Card, conhecido como SD, que tem capacidade de até 8GB. Devido a sua compatibilidade com várias marcas de câmeras digitais e ao preço mais acessível, o SD é um dos cartões de memória interna mais utilizados atualmente. Também produto da SanDisk, o Compact Flash, ou CF, oferece uma boa taxa de transferência e capacidade de até 64GB. Compatível com câmeras de marcas como a Canon e a Nikon, o CF é uma das opções mais utilizadas por fotógrafos profissionais. Outro cartão de memória popular é o Memory Stick, desenvolvido pela Sony. Raramente o encontramos em outras câmeras fora as da própria Sony. Existem cinco tipos diferentes dele, mas o principal é o Memory Stick PRO, pois tem uma alta taxa de transferência. Dois inconvenientes: é mais caro e provavelmente não poderá usá-lo quando trocar sua Cybershot por um modelo de outra marca.

7. Compare as opções de flash

Em modelos digitais profissionais é possível comprar o flash que você quiser e conectar a câmera. Compactas e semiprofissionais têm flash embutido. Analise a distância máxima de iluminação do flash e sempre teste fotografando antes de comprar. Outra função importante é a redução de olhos vermelhos, que mesmo não eliminando completamente o pequeno problema, certamente ajuda a melhorar a imagem. Alguns modelos de câmeras digitais oferecem uma opção que altera a intensidade do flash manualmente, assim você poderá evitar fotos com iluminação saturada e fundo escuro. O “flash suave” proporciona fotos com maior tempo de exposição, mas ainda iluminadas por flash. O resultado final é uma imagem com iluminação não tão forte e sem apagar o plano de fundo. Mas em fotografias em movimento, o “flash suave” pode borrar a imagem.

8. Vai levar a câmera no bolso ou não se importa com o tamanho?

Começamos nosso papo perguntando sobre a finalidade da sua câmera digital: o tamanho é um item que faz a diferença. Comprar uma câmera semiprofissional superavançada para tirar fotos com os amigos nas festas pode ser over. As semiprofissionais são mais pesadas e não tão práticas para carregar por aí. As pequenas e finas são mais confortáveis para levar no bolso e também possuem visores LCD em bons tamanhos.

9. Câmera digital automática ou manual?

Hoje em dia, as câmeras digitais têm funções automáticas, capazes de detectar o ambiente, a iluminação e o objeto, escolhendo a configuração mais adequada para a sua fotografia. Muitas pessoas preferem alterar essas opções manualmente, uma função presente em câmeras digitais profissionais e semiprofissionais e em algumas compactas. Para quem entende bem de fotografia, você também pode se aprofundar, o manual é uma opção fundamental.

10. Assistência técnica e garantia

Assim como na compra de qualquer aparelho, o tempo e as condições da garantia são decisivos. A maioria das lojas oferece um mês para troca, por defeito do fabricante, e as empresas podem dar até dois anos de garantia. Prefira as marcas com maior rede de assistências técnicas autorizadas, afinal ninguém quer viajar para consertar a câmera. Confira se existem autorizadas perto de você e também o custo médio de reparos mais comuns, como queda e perda de qualidade de imagem. Poucas são as marcas que oferecem garantia fora do país onde você comprou, portanto, tome cuidado com sua câmera digital em viagens ao exterior. Além disso, sempre confira qual a garantia oferecida pela loja e pelo fabricante.

11. Por último, mas não menos importante

Deixe seu comentário:

Eduardo Artico

Eduardo Artico

Redator publicitário. Especialista na arte de criar sacadinhas e anúncios.

Veja mais publicações de Eduardo Artico

+ Tecnologia

5 blogs de livros para você conhecer
5 blogs de livros para você conhecer
10 perguntas e respostas sobre hospedagem de sites
10 perguntas e respostas sobre hospedagem de sites
Descobri como economizar energia elétrica
Descobri como economizar energia elétrica
Celular caiu na água? Dicas para você não ter que comprar um celular novo
Celular caiu na água? Dicas para você não ter que comprar um celular novo

Tags:, , , , , , ,